02/09/2020

ICDF suspende cirurgias eletivas por falta de remédios e materiais de trabalho

GDF não está repassando a verba necessária para fazer aquisição de insumos indispensáveis

O Instituto de Cardiologia do Distrito Federal (ICDF) realizava média de 5 cirurgias eletivas por dia. Mas, nas últimas semanas, está suspendendo a realização desses procedimentos por falta de medicamentos e de materiais de trabalho. Isso está acontecendo porque o Governo do Distrito Federal (GDF) não está repassando a verba necessária para fazer a aquisição dos insumos.

De acordo com apurações preliminares, há desabastecimento de luvas, sedativos e outros produtos indispensáveis para atendimentos de cardiologia. Enquanto isso, adultos e crianças aguardam ansiosamente pela realização de cirurgias que ninguém mais sabe quando vão acontecer. A sensação é de medo e insegurança.

“A situação é preocupante. São centenas de profissionais altamente qualificados, totalmente inseguros, com medo de o instituto fechar e eles perderem o emprego. O ICDF oferece um serviço especializado, que nenhuma outra instituição oferece. Onde os pacientes vão receber esse atendimento? Quantos vão morrer na fila de espera? É revoltante constatar o que está acontecendo no instituto”, lamenta a tesoureira do Coren-DF, conselheira Maria Aparecida Alves de Almeida.

Os colaboradores da instituição estão tendo que improvisar materiais para dar assistência aos pacientes. O que tem hoje só dá para manter quem está internado e o ICDF está subutilizado, no momento em que a população mais precisa de assistência. Nesta terça-feira (1º), dos 106 leitos disponíveis, apenas 22 estavam ocupados. Dos 10 leitos de UTI reservados para pacientes com Covid-19, apenas 3 estavam ocupados.

Essas constatações foram feitas durante fiscalização realizada pelo Conselho Regional de Enfermagem do Distrito Federal (Coren-DF), pelo Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal (SindEnfermeiro-DF) e pelo Sindicato dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Distrito Federal (Sindate-DF) no dia 1º de setembro de 2020.