26/09/2019

Enfermeira toca violino para melhorar a saúde de pacientes: vídeo

Uma enfermeira violinista está fazendo a diferença para pacientes do
Foto: WMTW

Uma enfermeira violinista está fazendo a diferença para pacientes do Hospital em Maine, nos Estados Unidos.

Sara Kapinos, que toca desde os 4 anos, decidiu unir enfermagem e música como forma de terapia para os pacientes.

“Sou uma enfermeira à serviço dos pacientes”, diz Sara que trabalha desde 2011 no Bridgton Hospital.

Recentemente, Sara descobriu que seu amor por tocar violino pode ser o melhor remédio que um paciente pode receber.

A decisão

“Este ano, percebi que podia juntar os dois”, disse Sara.

“Fui convidada para tocar no Natal e no almoço das enfermeiras.

No começo, eu não tinha certeza de tocar na frente dos meus colegas. Eu relutei, mas a equipe adorou.”

Sara então se apresentou para pequenos grupos de pacientes nos quartos do Bridgton Hospital.

O som suave do violino tocou seus corações, deixando alguns em lágrimas e outros, muito gratos ao “anjo especial”, que acrescentou um pouco de brilho aos dias destas pessoas.

A repercussão

“Foi uma surpresa. Ela foi incrível, avassaladora ”, disse Ron H., um paciente recente do Bridgton Hospital.

“Ela tem esse espírito incrível.”

Lutando contra a dor e o isolamento de estarem confinados em quatro paredes de um quarto de hospital, os pacientes descobriram que ouvir o violino de Sara é um pequeno alívio do seu prognóstico e incerteza que pode vir pela frente.

“Para alguns pacientes, a música ajudou a não pensar nos próprios problemas. É uma boa diversão terapêutica”, relata Sara.

“Estudos mostram como a música e a pintura terapêuticas podem ser parte da cura do paciente. Nós apenas precisamos incorporar mais”, afirmou.

Kate Carlisle, diretora de comunicações e assuntos comunitários da Central Maine Healthcare, viu uma postagem no Facebook da performance de Sara em Rumford e apresentou a ideia ao programa “207” do NewsCenter Maine para um projeto com Sara. Eles fizeram.

“Desde que o programa foi ao ar, várias pessoas me enviaram e-mails, perguntando se eu continuaria fazendo isso? E eu digo: claro que sim. Eu fiz uma promessa que faria. O que quer que ajude os pacientes”, concluiu.

Fonte: sonoticiaboa