09/08/2017

UBS no Paranoá é mantida com dinheiro dos servidores

A Unidade Básica de Saúde (UBS) Café sem Troco, do núcleo rural do Paranoá, funciona com o esforço pessoal de funcionários do local. É o que mostra relato de visita divulgado pelo Sindicato dos Médicos do Distrito Federal (Sindmédico-DF) feita na última segunda-feira, 7 de agosto. Segundo a entidade, um médico, profissionais de enfermagem e agentes comunitários de saúde se juntam para bancar despesas como a compra de um sonar fetal de R$ 800 e o pagamento mensal de R$ 60 pela internet.

Outro problema apontado pelo Sindmédico-DF é a falta de ar-condicionado. Um ventilador foi doado por uma enfermeira que trabalha no local para amenizar o calor. O sindicato aponta ainda que a unidade não possui água potável e que o caminhão-pipa que entregava o líquido parou de circular desde a semana passada por não atender à legislação para prestação do serviço.

A falta de veículos da Secretaria de Saúde para visitar a comunidade e de medicamentos, até anti-inflamatórios, também são apontados pela entidade de classe. O caso foi encaminhado ao Ministério Público do Trabalho (MPT).