30/11/2018

Saúde do homem: profissional de enfermagem contribui para quebra de mitos

Até o final de 2018, estima-se que mais de 68

Até o final de 2018, estima-se que mais de 68 mil homens serão diagnosticados com câncer de próstata no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Muitos deles, por preconceito quanto ao exame e por acreditar que precisam estar sempre fortes, deixaram de se prevenir contra esse tipo de câncer, que é o segundo mais comum no país e fica atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.

“A dificuldade dos homens em cuidar da própria saúde é uma questão cultural, pois existe um mito, um estigma, de que o homem tem que ser forte, provedor. Por ter a família, na maioria das vezes, dependendo dele, ele não pode adoecer”, afirma o enfermeiro, mestre em Ciências da Saúde, Dr. Wilton Keiti Inaba.

Para reverter esse quadro é imprescindível a presença e a orientação do enfermeiro. O profissional além de executar procedimentos técnicos pode ajudar a desconstruir os tabus quanto a doença. “O enfermeiro é o profissional do cuidado e trabalha em enxergar esse homem como um todo, o que chamamos de visão holística. Dessa forma, buscamos entender o que dentro daquela cultura ou comunidade em que ele vive está fortalecendo essa resistência, e por meio da compreensão deste contexto tentamos traçar medidas específicas e direcionadas para que ele se sinta seguro em cuidar da saúde”, explica.

Junto com o profissional de enfermagem, Dr. Wilton Keiti afirma que a família cumpre um papel importante sobre essa questão. “Estudos apontam que 70% dos homens, só procuram o serviço de saúde por insistência das esposas e dos filhos. Pensando nisso, o profissional precisa valorizar e integrar a família dentro de boas práticas e de programas de saúde e, dessa forma, haverá mais acesso às informações para o cuidado e prevenção de várias doenças, como por exemplo, o câncer de próstata”, informa.

Dr. Wilton ressalta que a prevenção é fundamental para a identificação precoce da doença, o que aumenta as chances de um tratamento eficaz. “Alguns hábitos devem fazer parte da rotina dos homens: manter uma alimentação saudável, praticar atividades físicas e utilizar com regularidade os serviços de saúde”, finaliza.

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens e fica atrás apenas do câncer de pele não-melanoma. Em valores absolutos, considerando ambos os sexos, é o quarto tipo mais comum, de acordo com o Inca.


Fonte: Fonte: Coren-DF