05/12/2018

Novos rumos para a Enfermagem Brasileira é tema de palestra no terceiro dia de CBCENF

O 21º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem tem como

O 21º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem tem como tema este ano “Enfermagem em Evidência: Foco na Valorização do Profissional” e promoveu hoje (28/11) a palestra “Valorização Profissional: novos rumos para a Enfermagem Brasileira”, ministrada pelo presidente do Conselho Federal de Enfermagem, Manoel Neri.

Neri iniciou sua fala resgatando momentos chave de sua formação profissional como enfermeiro e professor, citando como exemplo, casos vividos que contribuíram para seu interesse e foco no fortalecimento, na valorização e na luta pela classe da Enfermagem. “Para você conseguir valorização, você deve valorizar a sua própria profissão”, refletiu. Nesse contexto, ressaltou a importância de reconhecer as conquistas da Enfermagem brasileira, que é uma profissão regulamentada por lei, diferente de alguns países considerados mais desenvolvidos, como a França. Essa conquista é fruto da luta e organização da classe que abriga enfermeiros, técnicos em enfermagem, auxiliares de enfermagem e obstetrizes, possuindo mais de 2 milhões de profissionais e sendo a maior categoria da saúde organizada no Brasil.

O presidente do Cofen também apontou problemas que impedem o avanço da profissão, como a falta de representatividade política e o sucateamento da formação de enfermeiro. Para ele, a Enfermagem poderia ser mais forte se houvesse mobilização e politização por parte da categoria. Também apontou a importância da fiscalização dos cursos de graduação por parte do Ministério da Saúde e da Educação. Hoje, a Enfermagem enfrenta o desafio de se posicionar contra os grandes grupos educacionais internacionais que querem expandir o Ensino a Distância nos cursos de saúde. “Não se ensina a distância quem cuida de gente!”, afirmou.

Para enfrentar as dificuldades do reconhecimento e valorização no cenário atual, Neri apontou a necessidade de desenvolver as novas áreas de atuação da Enfermagem (Forense, Estética, Consultórios e Clínicas), bem como a aplicação das práticas avançadas em Enfermagem, que tem sido assunto de destaque nas discussões do Cofen e do Congresso. É de interesse do Conselho fomentar estudos e mestrados profissionais da área, em parceria com a CAPES. Para ele, o enfermeiro já faz muito mais do que o escopo da sua profissão determina, tendo em vista a necessidade e situações que são encontradas no dia a dia da atuação. Os Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Holanda já aplicam práticas avançadas em Enfermagem e tem sucesso nas áreas de anestesiologia, saúde da mulher e da criança e saúde mental.

O presidente também comentou sobre a importância do interesse da classe em sua formação e especialização, além da ética entre colegas e respeito ao paciente. “Estamos nos afastando do nosso objeto de trabalho: o cuidado”, disse ele. A excelência e resolutividade dos profissionais de Enfermagem deve ser foco, alinhado à mobilização e organização política. “Valorização se conquista através da luta cotidiana que faz a transformação da história.

 

Só os movimentos humanos são capazes desta transformação”, finalizou.