31/05/2019

Coren-DF recebe profissional de Enfermagem agredida em serviço

A profissional foi recepcionada pela diretoria e conselheiros na última

A profissional foi recepcionada pela diretoria e conselheiros na última ROP

Na manhã desta sexta-feira (31), o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-DF) recebeu a Técnica de Enfermagem, Luzia Silva, para ouvi-la sobre o caso de agressão ocorrido com a profissional dentro do ambiente de trabalho.

A diretoria, os conselheiros efetivos e suplentes, a recepcionaram na 517ª Reunião Ordinária de Plenária (ROP) e ofereceram todo o suporte necessário, dentro da competência do Conselho, para a profissional. Segundo o presidente do Coren-DF, Dr. Marcos Wesley Feitosa, esse não é um caso isolado. “A Enfermagem vem sofrendo muito, tanto na iniciativa privada quanto nas instituições públicas. Por ser linha de frente, o profissional de enfermagem é constantemente agredido, e repudiamos qualquer tipo de violência voltada aos profissionais de Enfermagem”, afirmou.

De acordo com uma sondagem feita pelo Coren-SP junto aos profissionais da categoria, em 2018, 66,3% dos respondentes afirmaram receber agressões por parte de pacientes, 60,1% por parte de parentes de pacientes e 77,1% dos profissionais sequer denunciam. “Nenhum profissional de enfermagem é obrigado a trabalhar sofrendo qualquer tipo de assédio no ambiente de trabalho”, ressaltou o presidente do Coren-DF

Luzia Silva, que trabalha há nove anos como Técnica de Enfermagem disse que se surpreendeu com a atitude do paciente e que mesmo com medo se sente motivada a continuar trabalhando. “Quando a gente sofre uma agressão a gente se sente um nada. Você sai da sua casa deixa seus familiares e vai trabalhar, chega no trabalho e é agredido. E eu falo, não só por mim, mas falo pela enfermagem que está bem acessível a esse tipo de situação. É difícil, eu ainda estou apreensiva em continuar atendendo, mas sei que o melhor pra mim é continuar exercendo meu trabalho com dignidade e confiança”, relatou.

Entenda o caso

Na semana passada, Luzia Silva estava fazendo uma medicação em um paciente que deu entrada em um hospital particular, no Gama, com possível infecção nas vias aéreas. O paciente reclamava de muita dor e, quando a profissional foi efetuar a medicação, o paciente começou a direcionar a ela palavras de baixo calão e chutou a bandeja de medicações na profissional.

O fato repercutiu nesta semana após um vídeo feito por um outro paciente ter sido compartilhado nas redes sociais. O Hospital fez todos os procedimentos cabíveis junto ao agressor e ofereceu apoio à profissional. Neste caso específico, foi instaurado um termo circunstanciado e feita a denúncia na delegacia.

O presidente do Coren-DF, Dr. Marcos Wesley reforça que esta gestão está preocupada, também com o bem-estar e a valorização do profissional, pois isso se reflete na qualidade da assistência e oferece maior segurança para a sociedade. “O Coren-DF fará o que for de sua competência para proteger o profissional de Enfermagem. Se você for vítima de qualquer tipo de violência física ou verbal, denuncie!”, destacou.

Coren-DF visita hospital

Na tarde da última quinta-feira (30), os diretores do Conselho compareceram ao hospital particular, em que houve o ocorrido, para apurar a agressão sofrida pela profissional de enfermagem no exercício da sua profissão.

O presidente do Coren-DF, Dr. Marcos Wesley Feitosa, o vice-presidente, Dr. Tiago Pessoa, a Tesoureira, Maria Aparecida Alves e o Procurador-geral, Dr. Jonathan Rodrigues foram recebidos pela direção do hospital que se mostraram preocupados com a situação e ofereceram todo apoio psicológico, jurídico e estão dando toda atenção necessária à profissional.

O Coren-DF reforça que ações violentas contra os profissionais de enfermagem são inaceitáveis e devem ser absolutamente repudiadas por toda a sociedade.